quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

FELIZ 2010

sábado, 26 de dezembro de 2009

Risoto de Natal - 2009

Então é natal, ops... Então já passou o natal, esse natal foi como todos os anos, família reunida, muita conversa, muita comida, os amigos filando o rango, mas no final foi tudo bem. Esse ano me joguei para fazer toda a ceia, uma farofa, um peru bem suculento, um arroz a piamontese ou risoto, uma salada e um bom vinho acompanhando. Quem disse que eu consegui? Fui limado total do baba e só fiquei com o risoto mesmo. Meu pai trouxe um bode assado, a farofa e a salada, num rolou peru e nem vinho e eu acabei fazendo o risoto. Modéstia a parte por ter ficado muito bom, hehe, vou por a receita aqui e espero que gostem, minha tia Cinha foi uma das que me implorou para eu colocar a receita, então aqui esta.



Risoto de Natal

Ingredientes:

500 Gr. de Arroz arbóreo.
1 Cebola grande.
3 Dentes de alho.
2 Colheres de sopa cheia de manteiga.
1 Colher de sopa cheia de azeite de oliva.
100 Gr. de passas brancas. Coloque para hidratar em água.
1 Cálice de vinho branco seco.

100 Gr. de um bom queijo parmesão ralado, eu usei o
"Prima Donna" com nozes.
Tabletes de caldo de carne.

A quantidade especifica de água que manda na caixa do arroz.


Modo de Preparo:


1º - Pegue a água que ira pro cozimento do arroz com o tablete de caldo, e coloque para ferver. A água tem que estar fervendo quando for jogar no arroz.

2º - Pegue a cebola, descasque-a, lave bem e corte em cubinhos pequenos.

3º - Pegue o alho, descasque e amasse.
4º - Pegue uma panela grande, jogue a manteiga e o azeite e deixe esquentar, jogue a cebola.

5º - Quando a cebola estiver começando a ficar transparente jogue o alho e deixe refogar.
6º - Quando o alho estiver dourando jogue o arroz, sem lavar, e refogue até ouvir uns estalos parecendo de milho de pipoca estourando.
7º - Pegue as passas que estavam hidratando e jogue no arroz e já adicione algumas conchas da água que esta fervendo, mexa e deixa lá.

8º - Depois de uns 5 minutos mexa novamente e jogue mais água, vá fazendo isso até o arroz ficar no ponto ou acabar a água.

9º - Quando o arroz estiver no ponto jogue o cálice de vinho e o queijo parmesão, espere uns 2 minutos e desligue. Sirva imediatamente.

Acompanhamentos:

Nós comemos com um bode assado, farofa e salada, mas poderia ser com peru ou outra carne, ficou muito bom.


Até a próxima receita amigos, abraços.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Arroz a Piamontese (Uma Óde a Família)

Não sei o que vocês pensam sobre família, mas digo que é a coisa mais importante que a nessa vida. Temos que pensar que não somos só filhos dos nossos pais, somos filhos dos nossos avós, bisavós... Afinal como estaríamos aqui se não fosse o passado de nossas famílias, hoje tive uma grande certeza ao passar à tarde na casa de minha vó Regina, não a bem maior do que o amor fraternal e familiar. Hoje vi o quanto faz bem ao corpo e alma passar, nem que sejam minutos, com alguém que você ama, não importa as brigas, não importa os constrangimentos, não importa nada ao estar ao lado de alguém que lhe faça bem e que pratique o bem. Nada no mundo supera o amor familiar. Nos momentos de tristeza, nos momentos de tragédia, nos momento que mais precisamos, ele sempre esta lá, alguém sempre o representa, um irmão, um tio, uma prima, ou até mesmo para mim o mais importante, uma mãe ou uma avó. Hoje eu já posso dizer que é natal pelo horário, e é por isso que desejo a todos meus familiares, parentes e agregados um feliz natal. Mais especialmente as minhas mães, Suely, Regina e Bela. Que hoje essa receita vai dedicada a minha vó Bela com todo meu amor e carinho de neto, espero um dia ter o privilegio de ser o pai dos meus filhos e dos meus netos e sentir como é ser pai duas vezes. Vó te amo, estaremos sempre juntos por mais que esse mundo nos separe.

Arroz a Piamontese

Ingredientes:

1 Kg. de arroz arbóreo, se não tiver pode ser o branco mesmo.
250 Gr. de parmesão em barra ralado.
1 Caixa ou lata de creme de leite.
2 Colheres de sopa cheia de manteiga.
1 Cálice de vinho branco seco.
Noz moscada ralada a gosto.
1 Vidro grande de cogumelos (Champignon) cortados em laminas.
1/2 Copo de requeijão cremoso.

Modo de Preparo:

1ª - Pegue o arroz já cozido da sua maneira e coloque em uma panela ainda quente e meio úmido.
2ª - Pegue os ingredientes, todos exceto o vinho e o creme de leite.
3ª - Jogue no arroz, o parmesão ralado, a manteiga, a noz moscada, os cogumelos e o requeijão cremoso, deixe dar uma reduzida no líquido. Fogo médio.
4ª - Quando começar a engrossar jogue o vinho e espere uns segundos para evaporar o álcool.
5ª - Logo em seguida desligue o fogo e jogue o creme de leite, veja o sal e sirva imediatamente.

Até a próxima receita amigos, abraços.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Pastel de Carne com Queijo

A combinação do pastel com uma cerveja (mais gelada que nariz de foca) não tem igual!!! É uma das coisas mais sublimes que existem, não sei se é o ambiente da pastelaria ou de um barzinho, ou se é somente a mistura dos sabores, é um mistério. Só sei que essa semana resolvi fazer e levei ao degustador de cerveja mais sublime que conheço, seu Lima da Target, ele adorou, falou que tava sequinho, que o recheio tava no ponto que a massa tava boa, no mais ele adorou. Depois chegaram Neto e Emily e gostaram muito também, então hoje eu dedico essa receita a família Lima e seus agregados...^^


Pastel de Carne com Queijo.

Ingredientes:

1 Pacote de massa pronta para pastel.
500 Gr. de patinho moído.
250 Gr. de queijo prato.
500 Ml. de óleo para fritar.
2 Cebolas grandes cortadas em cubinhos bem pequenos.
6 Dentes de alho.
1 Colher de sopa cheia de manteiga.
3 Colheres de sopa cheia de azeite de oliva.
1 Tablete de caldo de costela.
3 Colheres de sopa rasa de óleo de gergelim torrado.
3 Colheres de sopa rasa de shoyu.
Pimenta preta moída a gosto para temperar a carne.

Modo de preparo:

1ª - Pegue o patinho moído coloque em uma tigela e tempere com a pimenta a seu gosto.
2ª - Pegue a cebola, descasque, lave e corte em cubos bem pequenos e o alho descasque e amasse.
3ª - Pegue uma frigideira coloque o azeite de oliva e a manteiga, espere esquentar e jogue a cebola e o alho.
4ª - Deixe fritar bem até a cebola ficar transparente quase dourada e o alho também.
5ª - Jogue a carne temperada só com a pimenta e vá refogando até secar completamente a água.
6ª - Quando estiver quase seca jogue o óleo de gergelim, o shoyu e o tablete de caldo de costela já dissolvido em uma xícara de água quente, mexa bastante para o caldo dissolver todo e pegar em toda a carne.
7ª - Quando secar novamente prove o sal, se precisar mais veja se pega mais um caldo de costela ou somente sal.
8ª - Retire do fogo espere esfriar um pouco e comece a montar os pastéis.
9ª - Coloque o óleo que ira fritar os pastéis para esquentar, o grande lance do pastel seco e crocante é o óleo, nunca coloque com ele frio nem muito quente, tem que haver um meio termo ou seja nem frio nem muito quente.
10ª - Pegue a massa abra em uma bancada coloque um pedacinho de queijo, uma colher de chá de carne e feche bem fechado para não entrar o óleo depois disso pegue o pastel coloque a pontinha no óleo, se ele já começar a fritar de imediato já jogue e deixe fritar até dourar. Se a panela for pequena frite uns 3 de vez no máximo para não esfriar o óleo de contrario no máximo 4.
11ª - Retire do óleo, deixe escorrer na própria espátula e coloque em papel toalha para absolver o óleo em excesso. Sirva imediatamente.

Acompanhamentos:

CERVEJA, CERVEJA E MAIS CERVEJA!!!

Até a próxima receita amigos, abraços.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Frango Marinado com Arroz de Curry


Frango Marinado
(Serve 4 Pessoas)

Ingredientes:

8 Coxas e Sobrecoxas, inteiras.
4 Colheres de sopa de vinagre balsâmico.
4 Colheres de sopa de shoyu.
2 Colheres de sopa de sauce oster.
2 Colheres de óleo de gergelim torrado.
4 Colheres de sopa de azeite de oliva.
5 Colheres de sopa cheia de água.
1 Colher de sopa de alecrim.
1 Colher de sopa de manjericão desidratado.
1 Colher de chá cheia de noz moscada em pó ou ralada.
Pimenta branca moída.

Modo de Preparo:

1ª - Pegue as coxas e sobrecoxas, lave-as bem, tire toda a pele e gordura, e desosse ela toda, mas sem cortar ao meio deixe juntas,
tire todos os nervos e cartilagem.

2ª - Pegue uma vasilha coloque todos os liguidos e os temperos secos, mexa bem.
3ª - Quando for desossando o frango já vai temperando ele com a pimenta branca e jogando dentro da vasilha com a mistura.
4ª - Pegue a vasilha com o frango imerso tampe com papel filme e
leve a geladeira por mais ou menos 24 Hrs.
5ª - No dia seguinte na hora de preparar o frango ah duas opções, fritar na manteiga com azeite ou grelhar numa churrasqueira. As duas opções são ótimas, mas eu recomendo a mais saudável que é grelhar, fica excelente.

Arroz com Curry

Ingredientes:

3 Xícaras de arroz branco.
1 Cebola Grande.
3 Dentes de alho.
3 Colheres de chá de Curry
4 Xícaras de água já fervendo.
Azeite de oliva.
Manteiga.

Modo de Preparo:

1ª - Corte a cebola em cubinhos, e o alho amasse.
2ª - Pegue uma panela coloque a manteiga e o azeite e deixe esquentar.
3ª - Jogue o alho com a cebola e refogue.
4ª - Jogue o arroz e deixe refogar até estalar parecendo milho de pipoca.
5ª - Pegue aquele caldo do frango, o caldo que o frango ficou durante a imersão e jogue no arroz e complete com água.
6ª - Fique provando e veja o ponto, quando estiver quase bom jogue o curry e deixe acabar de cozinhar. Veja o sal.
7ª - Sirva imediatamente.

Até a próxima receita amigos, abraços.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Macarrão ao Molho Pomodoro

Ah algum tempo que eu não fazia esse macarrão aqui em casa e ontem resolvi fazer, como fala minha mãe, baixou o espírito cozinhador. Essa foi uma das minhas primeiras receitas e que fui aprimorando com o passar do tempo, modifiquei aqui, modifiquei ali e cheguei ao ponto que eu disse, "Nossa, ta bom demais". Hoje irei ensinar um pouquinho dela, não tudo claro, sempre ah os segredinhos.



Macarrão ao Molho Pomodoro

Ingredientes:

4 Tomates maduros e firmes.
2 Cebolas médias.
1 Pimentão médio vermelho.
1 Pimentão médio verde.
4 Dentes de alho.
1 Caixa de molho pronto, ervas finas ou manjericão.
2 Colheres de sopa cheia de manteiga.
1 Colher de sopa de açúcar mascavo. (Se não tiver põe o cristal mesmo, mas numa quantidade menor)
1 Colher de chá de pimenta preta moída.
1 Cálice de vinho tinto seco.
1 Tablete de caldo de carne.
1 Xícara de chá cheia de folhas de manjericão.
1/2 Xícara de chá de azeitona cortada e sem caroço.
Fios de azeite de oliva.

Modo de Preparo:

1ª - Pegue os tomates lave-os bem, corte em 4 e retire o olho e as sementes, no final corte todo em cubinhos. Faça o mesmo com os pimentões e as cebolas. Tente cortar tudo em partes iguais, do mesmo tamanho, para na montagem do prato ficar tudo bem bonito e organizado.
2ª - Pegue o alho, descasque-o e amasse.
3ª - Pegue uma panela relativamente grande e coloque a manteiga e fios de azeite.
4ª - Jogue os tomates, as cebolas, os pimentões e o alho, refogue até os tomates sumirem e a cebola ficar transparente.
5ª - Feito isso jogue a caixa de molho pronto e depois de vazia encha com água e jogue a mesma medida.
6ª - Feito isso deixe ferver um pouco e jogue o restante dos ingredientes, o açúcar, a pimenta preta moída, o cálice de vinho, o tablete de caldo de carne, as folhas de manjericão e as azeitonas. Deixe ferver até reduzir um pouco.
7ª - Depois de uns 30 minutos fervendo e sempre mexendo, prove e veja o sal, se for necessário acrescente mais, fica a seu critério.
8ª - Desligue e sirva imediatamente.

Acompanhamentos:

Serve muito bem com ovos cozidos com fios de azeite de oliva, salada de tomate e manjericão, um frango assado ou grelhado, ou um filé a parmegiana.

Até a próxima receita amigos, abraços.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Livro


Hoje na saída do cinema, entramos numa livraria e apresentei a minha mãe o livro "As Grandes Receitas de Gordon Ramsay". Ele é um grande Chef de cozinha Escocês e para quem tem TV por assinatura deve conhecê-lo do programa "Hell's Kitchen". Famoso por sua linha dura e seu jeito grosseiro, na verdade é uma pessoa que ama o que faz e poderia até ser comparado com um caranguejo, aquela carapaça dura, firme e feia por fora, e todo mole e sentimental por dentro. Nesse livro ele aborda suas receitas mais famosas e as que mais gosta de prepará-las, é um misto de receitas caseiras e sofisticadas. Recomendo e sei que não iram se arrepender.

Editora Globo - Faixa de 50 à 70 reais.

Filme

Acabei de chegar de uma seção de duas horas no Espaço Unibanco de Cinema (Cine Glauber Rocha). Fui assistir à "Julie e Julia", MARAVILHOSO, recomendo a todos, uma história fantástica sobre duas cozinheiras em tempos e realidades distintas mas que tem em comum a paixão pela cozinha e a motivação de estar sempre melhorando. Peço a todos que lêem meu Blog e que amam gastronomia tanto quanto eu que não deixem de curtir essa maravilha cinematográfica, tenho certeza de que não iram se arrepender.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Feijoada de Feijão Preto

É assim, meu irmão mais velho Tasso quando se mudou pro Rio de Janeiro em Maio de 2008, não sabia nem fazer um arroz que presta-se, então fui incumbido de fazer e ensinar algumas receitas para ele, afinal de contas ele ia com a namorada e não queria sair batido se ela pedisse algo para ele. No inicio comecei com o básico do básico mesmo, arroz, feijão cotidiano, macarrão, alguns molhos e por ai foi... Só que ele queria mesmo era minha receita de feijoada que eu faço e grande parte aprendi com minha mãe e minha tia Regina, então hoje dedico essa receita, com todo meu amor e carinho de irmão mais novo, a meu irmão mais velho que esta longe, mas que ainda é muito amado, bjão te amo cara!!!



Feijoada de Feijão Preto
(Serve 4 pessoas)

Ingredientes:

500 Gr. de feijão preto.
2 Linguiças defumadas.
2 Paios.
150 Gr. de bacon.
300 Gr. de carne do sertão, também conhecida como charque ponta de agulha.
3 costelas de porco defumadas.
2 costelas de porco salgadas.
100 Gr. de toucinho.
2 Tomates grandes maduros e firmes.
1 Cebola média.
1 Pimentão médio.
6 Dentes de alho.
Folhas de louro a gosto.
Pimenta do reino preta moída a gosto.
2 Colheres de sopa cheia de vinagre.

Modo de preparo:

1ª - Pegue o feijão preto, cate todos que não estiverem apresentáveis, podres e furados e descarte, depois lave bem o feijão e coloque na água de molho.
2ª - Pegue as carnes, que não sejam salgadas, e corte tudo em igual, o paio, a linguiça, o bacon, as costelas de porco defumada.
3ª - Pegue as carnes que sobraram e são salgadas cortes também, só que essas põe de molho, troca a água uma vez e coloca para dar uma fervidinha, não ferva muito para não perder todo o gosto. Cozinhar em panelas separadas para não ter perigo de salgar as outras carnes. Cuidado com o sal.
4ª - Pegue os tomates, as cebolas, os pimentões, 3 dentes de alho e a pimenta do reino e bata tudo no liquidificador com água, pode por uma quantidade boa de água porque vai ser ai que vai cozinhar o feijão e tudo mais.
5ª - Jogue tudo na panela de pressão ou numa panela bem grande, o feijão com a água que ele estava de molho, as carnes cortadas e as carnes aferventadas. Deixe ferver por mais ou menos 1 hora e 30 para panela de pressão e umas 2 horas e 30 para panela normal.
6ª - Feito isso, prove o sal, prove o feijão, veja se as carnes estão cozidas.
7ª - No final pegue os 3 dentes de alho que sobraram e amasse e frite com um pouco de óleo e manteiga, quando começar a dourar jogue o vinagre e espere dar um leve evaporada.
8ª - Feito isso jogue essa misturinha no feijão e deixe dar mais uma leve fervura para tudo entrar em sintonia. Sirva imediatamente.

Acompanhamentos:

Arroz branco, couve refogada, farofa de cebola, alho e manteiga e uma vinagrete.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Final de Semana na Praia ^^


Olá caros leitores, sei que estou em falta com vocês mas passei por muitas coisas ao mesmo tempo nesses dias que me impossibilitaram de escrever no blog, minha vó foi internada, minha mãe inventou de fazer reforma aqui em casa e ai por último acabei viajando para passar o final de semana fora; E pelo final de semana irei aqui detalhar um pouco como foi essa viagem. A principio foram, eu, Barrinha e Sivuca para o show do "Rappa" e depois, teríamos que aturar o show do "Jammil" pois outros que também foram, gostam da banda. Bom fomos todos no sábado para a casa de Barrinha em Guarajuba, eu, Sivuca, Raphael e Barrinha e depois chegaram Fred, Renata, Tomate, César Silveira, Adriano e Iasmin. Gente pá caraio numa casa minúscula. No sábado quando chegamos não tínhamos muito a fazer então fomos beber, oh rimou!!! Mais tarde fomos a praça de Guarajuba para quem não conhecia conhecer e depois saímos para comer em Praia do Forte. No domingo de manhã resolvemos ir a praia, mas como? Tinha umas 8 pessoas só pra um carro... Então resolvemos ir para o clube que fica no condomínio mesmo e esperar Tomate chegar com o outro carro para vagar um pouco, mas no final das contas não fomos mais a praia ficamos no clube mesmo, lá por volta das 2 decidimos que íamos comer e que eu ia cozinhar, juntamos dinheiro e fomos comprar as coisas, fiz um macarrão à carbonara, não ficou lá essas coisas toda mas deu pro gasto e então a noite o show. Quando chegamos em Sauípe fomos primeiro ao esquente e depois ao show, pense num lugar caro, pensou, pois multiplique por 20, foda!!! No show toda hora vinha o cara e falava, "10 minutos pro show", passava os 10 ele de novo, "10 minutos pro show", ¬¬' saco viu... Mas o show começou, foi bom, tirando a parte que ele só tocou uma hora certa por que foi pago pra isso e nem um minuto a mais, foi até aceitável, mas o chato mesmo foi o Jammil, rapaz pense que Tuca o vocalista tocou quase 3 horas sem parar pulando igual a um doido, acho que ele tava com uma areia branca que ele pisou e tava pulando a 3 horas para tentar tirar. Íamos até esperar o pessoal mas não aguentamos e fomos embora. Quando chegamos na casa ficamos lá de boa, abrimos um suco de cevada e ficamos lá relaxando, isso já era umas 2:30 da manhã, quando chega Faffo, Cesinha e Tomate, ai começou a gaiatice, foi muito engraçado, Raphael bêbado igual a um gambá começou a dar novos nomes, Sivuca virou Sivus, Tomate virou Peital e Cesinha virou Peital Empolado. Hilariante, fora que Faffo morre de medo de bichinhos do mato, Grilos, Aranhas, coisas do tipo e toda hora ficávamos jogando algo nele para ele pular da cadeira, Barrinha quase enfarta de risos. No final das contas foi tudo muito bom, tudo muito bem, segunda acordamos com os peidos e arrotos de Adriano, excelente despertador em? E voltamos para casa, fizemos um churrasquinho na casa de Fred e Renata e terminou o dia com chave de ouro brincando de sueco. Foi maravilhoso e espero ter muito mais em frente. Abraço a todos.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Filé a Parmegiana

Essa é a semana do Marcelinho, já falaria Seu Garcia. Nessa semana tive o prazer de passar o dia 20 de Outubro na companhia do meu "enorme" amigo Marcelo Cabral. Foi o aniversário dele. Conheci o Marcelo junto com o Barrinha e através do Thiago, e logo quando o vi perdi a visão do ambiente em que estava e só tive olhos para ele, não pessoal ele não é tão bonito assim não, é que ele é meio "gordinho" sabe ai chama a atenção de todo mundo. Mas brincadeiras a parte sinto hoje que sou um cara que tenho uma das sortes mais fantásticas do mundo por tê-lo conhecido. Posso falar de coração aberto que ele é praticamente um caranguejo, todo duro e carrancudo por fora, mas todo mole e de um coração enorme por dentro. Com o passar do tempo fui descobrindo que Marcelo era um grande fã da arte gastronômica, mas não de fazê-la como eu, mas sim de comê-la. Haha. A primeira vez que fiz algo para ele, foi na casa de Thiago, com Barrinha também. Não posso dizer que ficou maravilhoso, ficou bonzinho, mas sabia que eu poderia fazer melhor. Na segunda vez consegui fisgá-lo pela barriga fiz meu famoso "Macarrão à Carbonara", perguntem a ele, é o prato que ele mais gosta dos que eu faço. Só que como já fiz essa receita, hoje irei dedicar a semana do Marcelinho outro prato também que ele gostou muito, um Filé a Parmegiana, Man você sabe que não a barreiras que nos separe e espero que isso perdure por anos e anos, te amo do fundo do coração cara. A só para não esquecer, ele é o chofer preferido da galera e sempre retorna os toques a cobrar, não sei se seu amigo faz isso, mas o meu faz.



Filé a Parmegiana
(Serve 4 pessoas)

4 Filés ao corte Tornedor. Expliquei como se faz no último tópico.
150 Gr. de farinha de trigo peneirada.
150 Gr. de farinha de rosca.
150 Gr. de queijo ralado. Pode ser o de saquinho mesmo.
3 Ovos.
500 Ml. de óleo para fritar.
Sal e pimenta preta para temperar os filés.
Fatias de queijo mussarela.
Molho de tomate feito a sua maneira para ir ao forno.
Bastão de queijo parmesão para ralar.

Modo de preparo:

1ª - Pegue os filés ao Tornedor, coloque me cima de uma bancada virados para cima e com a palma da mão pressione para baixo abrindo-os. Logo em seguido use as pontas dos dedos para acabar de abrir e dar uma amaciada em todo o filé. Não use nenhum tipo de martelo nem nada para bater no filé.
2ª - Tempere-os com sal e pimenta preta moída, reserve.
3ª - Pegue um refratário grande e jogue a farinha de trigo, a farinha de rosca e o queijo ralado. Misture bem com a mão.
4ª - Pegue os ovos quebre num prato e bata-os com um garfo até ficarem bem mexidos.
5ª - Pegue uma panela grande e funda ao mesmo tempo e coloque o óleo. Deixe esquentar bem.
6ª - Pegue os filés passe primeiro nas farinhas, depois no ovo e novamente nas farinhas batendo de leve para colar.
7ª - Jogue logo em seguida no óleo quente e deixe fritar até ter uma coloração dourada, quem quiser mais escuro deixe, mas eu não recomendo que pode endurecer a carne.
8ª - Retirar logo em seguida e jogar em um refratário que vá ao forno com bastante molho de tomate.
9ª - Coloque por cima as fatias de queijo mussarela, eu geralmente coloco duas que o pessoal prefere, leve ao forno só para derreter o queijo.
10ª - Quando o queijo estiver derretido retire e sirva imediatamente com o queijo parmesão em bastão ralado por cima.

Acompanhamentos:

Eu sirvo ele com um purê de batata e mandioquinha em baixo e nada mais. use sua imaginação.

Até a próxima receita amigos, abraços.

A diferença entre... (FIlé Mignon)



Pessoal, sei que tem tempo que não posto nada no tópico de "A diferença entre...", mas cá estou. Hoje iremos falar de uma das partes mais baratas e aproveitáveis do boi, podem me chamar de louco quando digo que filé mignon é uma das partes mais baratas do boi, mas vou explicar. O filé mignon é a única parte do boi no qual você aproveita tudo, desde a cabeça, o cordão e o corpo, nada nele é desperdiçado, nada mesmo; por isso digo e repito, iremos falar hoje sobre uma das partes mais baratas do boi. O filé quando é comprado ele vem com um cordão ao lado, uma parte mais grossa em cima que chamamos de cabeça e o corpo que é normalmente o mais usado. O filé tem que ser tratado como qualquer outra carne, não é simplesmente cortar e meter na panela. Primeiro divida o filé, separe o cordão, a cabeça e o corpo. No corpo existe uma fina "pele" que é o nervo dele, é a parte que brilha, é por essa parte que reconhecemos o filé, aquela "pele" brilhosa que está em cima. Ela tem que ser retirada normalmente na direção da cabeça para a ponta, meta a ponta da faca dentro e puxe levemente que a faca ira deslizar em baixo dessa "pele" e faça isso até retirar por completo o nervo. Depois faça um tratamento na gordura, tira todas as pontas maiores de gordura, tente tirar o máximo possível de gordura que você conseguir, sabemos hoje que ela não faz bem a saúde, então se esforce. Pronto seu filé esta pronto para o uso. Partiremos agora para os tipos de corte e utilidades do filé. O cordão que foi retirado e também tratado pode ser usado para fazer um ensopado e outros pratos. A cabeça pode ser usada para fazer um Strogonoff ou um prato mais sofisticado, mas minha parte preferida, é o corpo, faz-se milagres com ele. Dele se tira um corte chamado Tornedor, é um corte que se coloca o corpo do filé deitado e se corta um pedaço de mais ou menos 3 a 4 dedos de espessura, que dá base para vários pratos, os meus preferidos são Parmegiana, com técnica única e exclusiva do meu Chef Rafael Sessenta e
Filé ao Juarez, muito famoso aqui em Salvador, um prato feito com vinho e frito em óleo muito quente. mas do filé tira-se inúmeros corte, Carpaccio, Bife, Picadinho... E tem inúmeros pratos, quis aqui somente tentar explicar um pouco de como se tratar o filé, e alguns pratos que gosto muito, qualquer dúvida ou sugestão me escreva, eu pesquiso e colo aqui.
Abraços e até a próxima.

Tornedor.

Carpaccio.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Strogonoff de Filé (A minha maneira)

Essa historinha é um tanto peculiar. Para quem não sabe eu sou o caçula de três irmãos, o mais velho Tasso e minha irmã do meio Pérola. Eu considero os dois os irmãos mais sortudos do mundo, por terem algo em comum, que é me ter como irmão. Hehe. Mas quem mais aprecia meus dotes de gastronomia e me explora é Pérola, sempre chega fazendo cara de choro, fingindo que ta cansada só para eu cozinhar pra ela, sabe aquela pessoa que só sabe fazer ovo frito e miojo? Pois bem é ela. Isso é até um insulto para mim, por que meu irmão Tasso quando foi embora pro Rio me pediu para ensiná-lo a cozinhar e saiu daqui pelo menos com vários pratos, já ela não sabe nada além do básico, diz que quando for embora também vai pedir para eu ensinar, quero só ver!!! Mas bem, nisso tudo além dela me explorar ela ainda traz as amigas para me explorarem, pode soar como uma reclamação isso aqui, mas não é. Sempre que ela traz as amigas eu tento fazer uma coisa diferente do que ela já conhece para tirar uma ondinha com as amigas dela. Certa vez ela trouxe uma amiga e eu fiz um Filé a Parmegiana, só que as outras amigas dela ficaram sabendo e ficaram com ciuminhos, ai lá vou eu já convidar e fazer um prato diferente também para as amigas e nesse dia fiz o Strogonoff de Filé, ficou muito bom e as amigas adoraram, teve uma até, acho que foi a Fran, que trouxe um mouse de maracujá para a sobremesa que estava maravilhosa, e nisso minha fama só cresce, rsrs.



Strogonoff de Filé
(Serve 4 pessoas)

Ingredientes:

500 Gr. de Filé Mignon tratado.
2 Cebolas médias.
2 Colheres de sopa cheia de manteiga.
2 Colheres de sopa de azeite.
1/2 Copo americano de conhaque para flambar. Eu uso o "Domecq"
1 Caixinhas de creme de leite.
1 Tablete de caldo de carne.
1 Vidro de champignon.
Noz moscada.

Sal e pimenta preta moída a gosto.

Modo de preparo:

1ª - Pegue o filé já tratado e corte em tiras, tempere com a pimenta preta e o sal, reserve.
2ª - Pegue as cebolas, tire as cascas, lave bem e corte em cubinhos.
3ª - Pegue uma frigideira grande e jogue a manteiga e o azeite.
4ª - Quando estiverem quentes jogue a cebola e deixe fritar.
5ª - A cebola estando quase transparente, jogue o filé e frite por mais uns poucos minutos.
6ª - Logo em seguida jogue o conhaque e ateie fogo para flambar.
7ª - Corte os champignon em fatias e jogue na panela.
8ª - Feito isso, prove o sal, vai estar meio doce por causa do conhaque, mas se for preciso jogue o tablete de caldo.
9ª - Rale a noz moscada, deixe ferver por não mais que 2 minutos e desligue.
10ª - Jogue o creme de leite e sirva imediatamente.

Acompanhamentos:

O bom e velho arroz branco com batata palha, não vejo nada melhor.

Até a próxima receita amigos, abraços.

domingo, 18 de outubro de 2009

15 Anos de Renata Mascarenhas (Renatinha) Uma ode à Amizade




Rapazzz, ontem foi "A" noite!!!
Mas, vou começar contando como cheguei até ela. Sabe, eu sempre tive um probleminha de me socializar com pessoas da minha idade, mas sempre me dava muito bem com pessoas mais velhas. Passei por inúmeras experiências até hoje nos meus 21 anos de vida, entre elas, vendedor da Herbalife, seminarista, técnico de computadores e o principal, vagabundagem. De lá até cá eu fiz algumas amizades, mas nada certo, concreto, amizades no qual eu poderia me basear e me apoiar se precisasse, sempre foi amizades curtas e só de diversão, amigos que só lembram que agente existe quando querem algo, mas vá pedir alguma coisa pra você ver... Meu problema em fazer amizades era por que eu não tinha uma certa noção do ambiente onde eu estava e das situações que ocorriam, meu apelido era Joselito sem noção, por ai vocês tiram de como eu era. Com o passar dos anos fui conhecendo pessoas que começaram a gostar verdadeiramente de mim e que ao passar do tempo iam me dando dicas e fazendo eu me tocar dos ocorridos, meu vizinho, e um dos meus melhores amigos, Fernando foi o primeiro. Aconteciam coisas desagradáveis de vez em quando e ele me dava às dicas, "rapaz, pense antes de falar, veja o que vai falar..." coisas do tipo. Bom eu fui melhorando mas sentia que faltava muito para poder fazer grandes e verdadeiras amizades. Mas esse dia chegou, 3 de Novembro de 2008, aniversario de meu primo bastardo Thiago Rangel. Ele é filho de minha queridíssima tia Lívia que namorou meu tio Paulo Dourado, por isso o parentesco bastardo com Thiago. Quando lá cheguei vi uma multidão praticamente, era muita gente mesmo, mas algo me chamou a atenção, algo não, uma certa energia positiva e uma grande relação de amizade, quando adentrei ao salão vi uma mesa enorme com muitos meninos e um certo "gordinho" líder no meio, achei que para mim seria mais uma festa como outra qualquer que eu frequentava, chegar, beber um pouco, comer, conversar e ir embora e ninguém lembrar da minha existência no outro dia. Mas eu estava completamente enganado. Thiago foi logo me apresentando a Barrinha, o "gordinho" líder que falei mais em cima, ele me chamou, sentei ao seu lado, e comecei a interagir com todos, logo após vieram as apresentações, Marcelo, Cesinha, Rafael, Lukinhas, Pajé... Não lembro de todos que estavam lá no dia. Com o passar da festa via que o Barrinha parecia mais anfitrião e dono da festa do que o próprio Thiago, percebia um certo olhar de amizade sincera e gratidão vindo daqueles meninos que o rodeavam, e assim fui socializando. No final da festa além das boas conversas e gargalhadas que demos, veio um convite inusitado que nunca tinha recebido, para sairmos de novo no outro dia, achei até estranho pois nunca, repito, nunca ninguém me convidou assim em um dia para nada, o Barrinha chamou para irmos ao prédio de Thiago no outro dia par a famosa "ressaca" e de lá irmos ara outro lugar. Quando cheguei lá tia Lívia deu uma de esperta e já tinha devolvido toda a cerveja, então fomos parar no Villa de Guadalupe, um barzinho mexicano aqui na Barra, e lá ficamos umas horas e no final quando nos despedimos veio a frase, "Pô velho, você é gente boa, saia mais com agente", rapaz, juro, eu quase senti vontade de chorar, né sacanagem não, foi uma noite esplêndida para mim. Assim se sucedeu durante algumas semanas e as amizades foram crescendo. Com o passar de alguns meses fui colocado na roda de amigos deles onde conheci o resto do pessoal. Isso para mim foi fantástico, eu via ali uma enorme possibilidade de achar finalmente meus verdadeiros amigos que eu tanto procurava para cultivar, posso afirmar de peito aberto e de coração cheio, esse é a melhor sensação do mundo inteiro, ter amigos, amigos de verdade, leais, companheiros e que realmente se importam com você, acredite isso faz muito bem ao corpo e alma. Depois de algumas boas saídas e muitas conversas fiz minhas principais amizades, entre elas com Igor Sobreira, Barrinha. Me identifiquei muito com ele pois na nossas conversas falávamos de tudo inclusive de nossas famílias e me vi ali numa copia idêntica na maneira de nossos pais agirem e nos criarem, e percebi como é tão bona e generosa aquela "enorme" alma. Bom vamos agora voltar ao assunto do titulo, com o passar do tempo conheci Fred e Renatinha, e ela me convidou para seus 15 anos, debutantes, no Yatch Club na ladeira da Barra, imagine, o convite era do tamanho de uma folha A4 e dentro um envelopezinho contendo o ingresso, um cartão magnético para ter acesso ao Yatch. Foram 2 semanas de extrema ansiedade e espera pelo dia chegado, e ele finalmente chegou! Fui muito bem arrumado e numa beca impecável, sabia que não ia durar muito, logo, logo estaria só de camisa dançando igual ao um maluco, e não deu outra. Quando cheguei vi todos logo de cara, Adriano, Barrinha, Pajé, Fipinho; E todos foram chegando com o passar do tempo. Ai teve as atividades de tradição dos 15 anos, a valsa, as flores e as homenagens. Lá pela 1 e tanta da madrugada, com as bebidas etílicas começando a fazerem efeito, começamos a reagir ao seus efeitos. Hehe. Mas também percebi algo que já nesse quase um ano de amizades com todos nunca tinha sentido antes, eu me senti amado. Eu ia pegar uma bebida alguém me chamava para conversar, tirar fotos, ia comer algo e mais uma vez, alguém me chamava, ia dança alguém me chamava, pera ai, alguém não, César Silveira me chamava, haha, pode ter soado meio gay, mas eu fui o mais explorado por ele na pista de dança. Rapaz eu me senti como o anfitrião da festa, parecia que a festa era minha pois todos me davam atenção, e ai que por um momento parei e refleti, "eu tenho bons amigos". Bebidas inúmeras, Black Label, Smirnoff Ice, Roskas de todos os tipos e sabores e cerveja Bohemia, comidas nem se fala, ai sim parte para o meu lado gastronômico, e com todo meu conhecimento de gastronomia afirmo com toda convicção, as comidas estavam maravilhosas. Medalhão de filé ao molho madeira, sushis, temakis, salgadinhos fritos na hora; enfim tudo perfeito. Bom, no mais a festa foi maravilhosa, muita dança, Barrinha se exaltou até demais na pista, bêbados foram surgindo, e infelizmente a festa acabou, o velho e mesmo ditado, "o que é bom dura pouco", e nesse caso para mim foi pouquíssimo, mas aproveitei e apreciei cada minuto. Se eu coloca-se aqui cada minuto da festa que gravei com minha memória passaria a noite toda. Mas nessas poucas linhas, que de poucas não tem nada, dá para sentir como foi tudo.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Bobó de Bacalhau à moda de "mainha"

A culpa dessa receita é de mamãe. Quem mandou ela não tirar todo o sal do bacalhau? Haha, calma gente vou explicar. Minha adorável mãe resolveu um dia fazer uma moqueca de bacalhau, quero deixar claro que moqueca de bacalhau não existe na integra, não é oficial. Mas tem quem faça, eu mesmo adoro. Bom, quando ela já estava a finalizar o prato percebemos que ficou muito salgado, ou seja, não fez bem feito o processo de tirar o sal do bacalhau. E em uma lufada de imaginação, ela lembrou que tinha um aipim congelado e resolveu inventar um novo prato "Bobó de Bacalhau". Para os desconhecidos e desavisados, quero explicar que bobó é um prato tradicionalmente feito com camarão e por isso a primeira vista ficou estranhos para os ouvidos, bobó de bacalhau, mas super, hiper, mega-agradável para o paladar. Na hora do almoço ela veio com aquele prato cheio de aipim batido com algo dentro. A princípio achamos que fosse o tradicional mesmo, o bom e velho bobó de camarão. Mas quando provamos, aprovamos e comprovamos que estava ali a nossa frente uma nova invenção gastronômica. Mais tarde descobri que isso já havia sido feito em outros lugares, mas mesmo assim ainda afirmo. "o bobó de bacalhau de mainha é o melhor".



Bobó de Bacalhau
(Serve 4 pessoas)

Ingredientes:

500 Gr. de bacalhau saithe.
500 Gr. de aipim cozido
6 Camarões grandes para enfeitar
.
3 Tomates médios.
1 Pimentão grande.
2 Cebolas médias.
3 Dentes de alho.
2 Garrafinhas de leite de côco.
Meia xícara de azeite de dendê.
Coentro e cebolinha a vontade.
Tabletes de caldo de camarão ou bacalhau, tem uns com azeite de oliva também que são muito bons.
Sal e pimenta branca para o camarão.

Modo de preparo:

1ª - Pegue o bacalhau e coloque de molho, de preferência na água gelada, durante 24 horas trocando diversas vezes.
2ª - Após todo esse processo, troque uma última vez a água e coloque para ferver. Após levantar fervura desligue, descarte a água e trate todo o bacalhau tirando toda pele, cartilagem e espinhos. Descarte todo o resto.
3ª - Pegue os tomates, as cebolas e os pimentões, já lavados e tratados e bata no liguidificador com uma garrafinha de leite de côco, o alho e um pouco de coentro e cebolinha.
4ª - Coloque tudo numa panela, com o bacalhau e deixe ferver para reduzir um pouco.
5ª - Pegue o aipim já cozido e retire todas aquelas partes mais fibrosas que ficam no meio do aipim, depois disso bata tudo com a outra garrafinha de leite de coco que sobrou, se for necessário coloque um pouco de água. Tem que ficar um pastoso líquido.
6ª - Despeje o aipim na mistura do bacalhau que já esta na panela.
7ª - Deixe ferver e jogue o azeite de dendê, deixe apurar e prove o sal, se for necessário jogue um tablete de caldo.
8ª - Pegue os camarões tratados e cortados a borboleta, tempere com sal e pimenta branca e dê uma leve puxada na frigideira com azeite, no máximo 3 minutos.
9ª - Coloque o bobó num refratário ou numa panela de barro e decore com os camarões e com coentro e cebolinha. Sirva imediatamente.

Acompanhamentos:

Um arroz branco soltinho cai muito bem, um feijão verde refogado e um molho de pimenta lambão. Use sua imaginação.

Até a próxima receita amigos, abraços.

domingo, 11 de outubro de 2009

Vídeos de Gastronomia

Bem, quando eu trabalhava com meu professor, Chef Rafael Sessenta, ele tinha acabado com o programa no qual eu o tinha conhecido, "Lugar de Homem é na Cozinha", e estava prestes a inaugurar um novo, "A Cozinha de Rafael Sessenta", que ainda está no ar pela TV Salvador. Em um desses programas, mais especificamente no segundo, eu fui convidado para participar como ajudante, e assim fui. Foi muito gratificante ter passado por essa experiência. Seguem, abaixo, os vídeos para que todos vejam.




quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Moqueca de Camarão

Como não poderia deixar de colocar está aqui uma receita baiana, afinal moro na terra e daqui não vou sair tão cedo. Esta receita irei dedicar ai meu saudoso e inesquecível amigo Eduardo Alem Mek Maia Duarte (Massacration). Temos praticamente uma estória juntos, passamos por brigas e alegrias, bons e maus bocados, mas no final de tudo sempre nos entendíamos. Essa última parte ficou meio gay? Bom, problema, isso é para vocês entenderem que ele não é um amiguinho meu qualquer, conheço ele a quase 10 anos e isso não são nem 10 dias nem 10 meses. Conheci "Massa" quando compartilhamos do mesmo interesse de jogos de computação na velha e inesquecível, Target Games, fiz muitos bons amigos lá e por sinal alguns me cobram receitas aqui, mas isso é outra história. Eduardo e eu sempre batíamos de frente um com o outro, pois sempre tivemos uma de ver quem é melhor nos jogos, claro que era eu, mas mesmo assim eu deixava ele ganhar de vez em quando. Ao correr dos anos acabamos ficando amigos, de dar umas saidinhas, de ficar cantando "Mamonas Assassinas" do lado de fora da Lan enquanto seu Lima fazia a faxina, enfim fizemos várias coisas juntos. Infelizmente, por motivos de força maior, ele teve que ir embora e hoje está morando na Espanha, fico abusando ele pelo MSN contando das comidas e tudo mais que ele esta perdendo ao longo desse tempo, mas ainda interagimos bastante mesmo que a distancia. Pois bem, essa receita de Moqueca de Camarão vai para ele com todo carinho do amigo e para ele babar no computador lá na España!!!



Moqueca de Camarão
(Serve 4 pessoas)

Ingredientes:

1 Kg. de Camarões médios, limpos e cortados a borboleta. (Já ensinei aqui no blog como se faz)
2 Cebolas médias.
2 Tomates médios.
1 Pimentão grande.
2 Garrafinhas de leite de coco.
2 Dentes de alho, descascados.
2 Tabletes de caldo de bacalhau ou de camarão.
Meia xícara de azeite de dendê.
Sal para corrigir se for preciso.
Pimenta branca moída para temperar o camarão.
Coentro e cebolinha para finalizar.

Modo de Preparo:

1ª - Pegue a cebola, o tomate, o pimentão, lavados e cortados em pedaços grandes e bata no liquidificador com o leite de coco e o alho.
2ª - Jogue em uma panela grande e deixe ferver para reduzir.
3ª - Enquanto isso pegue o camarão, já lavado e cortado, e tempere com um pouco de pimenta branca e sal, reserve.
4ª - Após esse molho ter reduzido um pouco jogue os tabletes de caldo e os camarões, deixe ferver por uns minutos.
5ª - Logo depois já jogue o azeite de dendê e deixe por mais uns 5 minutos.
6ª - Prove o sal, corrija se for necessário.
7ª - Desligue o fogo, tempere com coentro e cebolinha picada e
sirva imediatamente.

Acompanhamentos:

Eu recomendo, arroz de coco, farofa de dendê, uma vinagrete e um bom molho de pimenta.

Até a próxima receita amigos, abraços.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Musculação ¬¬



Ontem comecei a malhar!!! Meio difícil isso para quem tem um apetite tão voraz e uma dedicação intensa a cozinha. Sabe, eu coloquei na minha cabeça que vou emagrecer, custe o que custar. Quero tirar essa imagem que todos têm de que cozinheiro é tudo gordinho, podemos ser até um pouco avantajados, mas temos que tirar essa marca de barrigão. Até por que cozinheiro que se preze tem barriguinha que é sinônimo de quem come bem. Mas hoje sim comecei minha dieta, ontem foi o maior sacrifico para eu dormir, juro, cheguei pensando em comida, tomei banho pensando em comida, chupei umas laranjas pensando em comida e tomei uma vitamina de leite desnatado, banana e mel, adivinhem? Pensando em comida. Isso me deixou louco, quando resolvi me deitar para tentar dormir e esquecer a fome, quem disse que eu consegui, virava pro lado e lembrava que tinha sobras do almoço, virava pro outro e pensava que podia comer um misto com bastante manteiga, ficava de barriga pra cima e lembrava do bife que teve no almoço da casa de meu pai, foi pânico total!!! Levantei e em um ato de loucura; fui tomar um banho, acharam que eu tinha ido comer né, não, dessa vez não, eu me superei, tomei um banho frio, voltei pro quarto, fechei janela, persiana, porta, liguei o ventilador e fui dormir. Acordei no outro dia, imaginem só, morrendoooo de fome. Fui bati uma banana com leite desnatado, aveia e mel e meti pra dentro, tomei um banho e saí, eu sabia que se ficasse em casa eu provavelmente comeria ou ficaria muito tentado. Aquele velho ditado se encaixa bem aqui, "cabeça vazia, oficina do diabo" e como falou o Pe. Fábio de Melo outro dia, "o diabo é um queijo gordo", espero que seja um queijo gostoso pelo menos. Fui ao mercadinho aqui da rua e comprei, rúcula, colve, laranjas e bananas, vocês podem não acreditar, mas estou determinado sim a emagrecer. Cheguei em casa e preparei uma boa salada de couve crua cortadinha, alface americana, rúcula rasgada na mão, uma latinha de atum e maionese light, isso tudo regado com azeite de oliva. Dividi em duas partes para eu comer quando voltasse da musculação e a outra meti pra dentro ao meio dia em ponto e fui me deitar, me senti até satisfeito, juro, pra quem é acostumado com feijão, arroz, alguma carne ou macarronada isso me caiu até bem; rapazzzz, quando deu umas 2 da tarde, olha a fome batendo a porta da barriga, comecei a ficar preocupado achando que não ia sustentar meus pilares de princípios, me segurei o máximo que pude, até que ao passar uns 30 minutos eu não aguentei, joguei tudo para o alto e falei, VOU COMER!!! Ao chegar na cozinha ainda pensei, vai que tem algo mais leve para enganar? Abri o armário e lá estavam,
aaahhh minha salvação, barras de cereais light, que beleza, comi umas duas e sai logo para malhar. Voltando da musculação, meti umas laranjas pra dentro e comi o restante da salada, estou aqui, falando de comida, só com a saladinha na barriga, provavelmente sairei mais tarde e vou por outra vitamina de banana com leite desnatado, mel e aveia pra dentro pra evitar comidas e refrigerantes. Quis contar isso a vocês para compartilhar também um pedaço da minha vida pessoal.
Abraços e beijos.

Molho branco com Atum, Pimentões e Ervas.

Essa é uma receita clássica daqui de casa. Minha mãe certo dia disse que tinha copiado uma receita em um programa de televisão e que iria fazer para nós, sempre fico com um pé atrás quando ela faz isso, mas graças a Deus até hoje não tive nenhuma decepção.



Molho branco com Atum, Pimentões e Ervas

(Serve 4 pessoas)

Ingredientes:

500 Ml. de leite.
3 Pimentões grandes, um de cada cor, vermelho, amarelo e verde.
2 Latas de atum ralado.
2 Cebolas grandes.
1 Caixa de creme de leite.
1 Colher de sopa de farinha de trigo.
2 Colheres de sopa cheia de requeijão cremoso.
1 Colher de sopa de manteiga cheia.
Azeite de Oliva, fios.
Muitas folhas de manjericão já tiradas do talo e lavadas.
Folhas de hortelã, tiradas do talo e lavadas.
Caldo de peixe ou sal mesmo para dar sabor.

Modo de preparo:

1ª - Descasque e lave bem as cebolas e corte à brunoise, cubinhos.
2ª - Lave bem os pimentões e corte também à brunoise, só que em cubos maiores.
3ª - Em uma frigideira grande ou numa panela funda, jogue o azeite e a manteiga e deixe esquentar.
4ª - Logo quando estiver quente, a manteiga e o azeite, jogue os pimentões e a cebola e refogue bastante.
5ª - Quando a cebola começar a ficar transparente e o pimentão ficar frito jogue o atum e deixe dar um refogada, com o óleo e tudo.
6ª - Logo após jogue a farinha de trigo mexendo bastante para não empelotar.
7ª -
Depois de mais ou menos uns 2 minutos abaixe o fogo e jogue leite mexendo bastante para não empelotar.
8ª - Após isso, jogue o requeijão e as ervas, cuidado com o hortelã, ele é forte e pode roubar muito o gosto do prato, colocar pouco, já o manjericão pode por bastante.
9ª - Corrija o sal, ou ponha um tablete de caldo e deixe ferver.
10ª - Desligue, jogue o creme de leite e sirva imediatamente. Eu recomendo um espaguete ou um talharim Al Dente.

Acompanhamentos:

Uma salada verde cai muito bem, ou um simples tomate cortadinho com azeite de oliva, um ovo cozido também vai bem, use sua imaginação.

Até a próxima receita amigos, abraços.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

A diferença entre...(Arroz)

Certo! Mais um dia, mais uma curiosidade. Hoje irei falar, e defender, uma das coisas mais simples e importante que há na vida dos brasileiros, o arroz. Existem hoje inúmeros tipos de arroz, mas irei falar do parbolizado e do branco. Muitas pessoas hoje preferem o parbolizado, pois ele quando é preparado não gruda. Falo isso por experiência própria, pois meu pai só come dele, mas o que ninguém sabe é que esse arroz parbolizado para não grudar vem todo com uma camada de parafina envolto nos grãos. Pô pense ai, você ta comendo parafina, aquilo que os surfistas passam nas pranchas, que é usado para fazer as velas que acendemos quando acaba a energia, adesivos plásticos, cosméticos, giz de cera e etc... Por isso que ele tem aquela coloração mais escura. Acho que nos temos um preconceito muito grande contra o arroz branco, ele é muito mais saboroso e fácil de fazer. Outro pecado que cometemos na cozinha é lavar o arroz, não à necessidade disto, o arroz hoje passa por tantos processos na fábrica que não precisamos nem catar nem lavar, quando se lava o arroz e sai toda aquela água branca, ali na verdade é o amido indo todo embora, ai o povo faz e diz, ah meu arroz ficou papento e grudado, claro, vc jogou o amido todo fora!!! Arroz é para ir do saco para a panela e pronto, qualquer dúvida ou sugestão me escreva, eu pesquiso e colo aqui.
Abraços e até a próxima.
Arroz Parbolizado

Arroz Branco



domingo, 4 de outubro de 2009

Espaguete ao Triplo Burro (A minha maneira)

Esta receita é um tanto peculiar, aprendi a fazê-la no curso de Gastronomia. Só que a achei muito simplesinha, e quando cheguei em casa resolvi dar uma remodelada. A receita original manda pegar todos os ingredientes e misturar tudo com o espaguete quente e servir na hora, eu não gostava muito disso, achava que tinha que ter fogo aí, derreter mais os queijos, a manteiga e dar uma esquentada no creme de leite; peguei todos os ingredientes e inventei, a arte de inventar coisas boas, claro, é para poucos, não tô querendo me vangloriar, mas que ficou bom. Ah, isso ficou!!! Não posso deixar de dar todo o crédito ao meu professor, ele me ensinou a receita original e eu fiz as minhas modificações. Dedico hoje essa receita a meu tio Douglas Dwight, roteirista, ele adora esse prato e logo quando comecei o blog ele pediu para eu postá-la.



Espaguete ao Triplo Burro
(Serve 2 pessoas)

Ingredientes:

100 Gr. Queijo gorgonzola.
100 Gr. Queijo parmesão ralado na hora, daqueles que vem em bastão.
2 Colheres de sopa cheia de requeijão cremoso.
1 Colher de sopa cheia de manteiga.
1 Colher de sopa cheia de azeite de oliva.
1 Tablete de caldo de galilnha ou de legumes, vo fazer propaganda, eu prefiro aquele vitalle que tem menos sal e é mais facil de se diluir.

1 Caixinha de creme de leite.
3 Dentes de alho amassados
.
1 Xícara de leite.
Gotas de molho de pimenta, para quem quiser não é obrigatório.

Modo de Preparo:

1ª - Pegue o gorgonzola e corte, pode ser em pedaços grandes.
2ª - Pegue o parmesão de bastão e rale.
3ª - Pegue uma frigideira grande e jogue a manteiga e o azeite de oliva, deixe esquentar.
4ª - Logo após jogue o alho e deixe dar uma fritadinha.
5ª - Quando o alho estiver frito, jogue o espaguete cozido Al dente e deixe fritar mais um pouquinho.
6ª - Abaixe o fogo e coloque todos os outros ingredientes, os queijos, o creme de leite, o leite, o requeijão, o tablete de caldo e as gotas de pimenta se quiser.
7ª - Deixe tudo derreter e dar uma boa esquentada, servir imediatemente.

Acompanhamentos:

Não sei de nenhuma, use sua imaginação.

Até a próxima receita amigos, abraços.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Rio 2016

Parabéns meu País lindo, eu amo ser brasileiro e agora mais e mais, vamos mostrar a eles como se faz. RIO 2016

A diferença entre... (Camarões à Borboleta)

Mas vejam só que beleza, terceiro dia de blog e já recebo pedidos sobre curiosidades para postar aqui. Dedico esse tópico com todo carinho e dedicação a uma baixinha "retada" aqui de Salvador, minha tia Cinha. Provavelmente ela estava lendo a receita do "Camarão tropical com Damasco" e viu lá "camarão à borboleta" e me pediu para eu postar aqui a explicação do que é isso...


Camarões com corte a borboleta são muito utilizados em pratos mais sofisticados. Eles geralmente são cortados assim para engrandecer o prato e também por que eles dobram de tamanho quando são feitos assim, mas você deve estar se perguntando, como posso pegar um camarão pequeno e com um mero tipo de corte fazer ele dobrar de tamanho? Simples, ilusão de ótica!!! Sim, o camarão não muda de tamanho com um simples tipo de corte, mas ele dá um formato diferente parecendo sim que ele cresceu, ó, já estamos evoluindo, a maneira de se fazer o corte é bem simples, pegue o camarão inteiro, descasque-o, e faça aquele corte para tirar a tripinha das costa, aí está o pulo do gato. Nesse corte, para tirar a tripinha você aprofunda mais o corte fazendo ele abrir mais as costas, não completamente para ficar um filezinho, mas só um pouco mais fundo para ele abrir parecendo mesmo uma asa de borboleta, pronto, aí está o famoso camarão com corte à borboleta. Espero que tenha sido de grande ajuda minha explicação, qualquer dúvida ou sugestão me escreva, eu pesquiso e colo aqui.
Abraços e até a próxima.

Macarrão a Carbonara (A minha maneira)

Então mais uma vez, aqui estou, muito feliz pelo carinho e resposta que tenho tido de todos a respeito do blog, muitíssimo obrigado!!!
Bem, hoje irei fazer uma receita que é meu carro-chefe, meus amigos adoram e sempre pedem para eu fazer, é um pouco difícil, mas nada que vá tomar todo seu tempo, garanto que no máximo em 2 horas estará tudo pronto. Este prato tem uma história um tanto peculiar, eu nunca ouvir falar em "macarrão a carbonara" e sempre fui muito de inventar pratos, e colocar minha família de cobaia para experimentá-los. Certo dia eu ia fazer um macarrão com molho branco que normalmente eu fazia com camarões; só que nesse dia não tinha os camarões e eu achei muito sem graça colocar só molho por cima. Quando abri a geladeira vi uma linguiça e um pedaço de bacon, pensei: será que ficaria legal se eu colocasse um bacon frito com linguiça dentro do molho? Bom fiz o teste, fritei tudo antes e joguei dentro do molho já pronto, quando utilizei minhas cobaias minha mãe logo expressou, "MACARRÃO A CARBONARA", hã? Aí ela me contou que já tinha provado antes em outro lugar, e que era assim que se chamava, eu fui pesquisar e vi que era isso mesmo, mas feito de uma maneira diferente, mas mesmo assim eu continuei a fazê-lo da minha maneira e aqui vou lhes ensinar.



Macarrão a Carbonara
(Serve bem 4 pessoas)


Ingredientes:

2 Linguiças defumadas, daquelas de feijoada.
300 Gr. de Bacon, se possível só a parte da carne.
2 Cebolas médias.
1 Litro de leite, pode ser que leve mais.
2 Caixas de creme de leite.
1 e 1/2 Colheres de farinha de trigo.
3 Colheres de sopa cheia de manteiga.
2 Ovos inteiros.
Fios de Azeite de oliva.
Noz Moscada, a vontade.
Queijo Gorgonzola, a vontade.
Tabletes de caldo a sua escolha ou somente sal.
Pimenta preta moída, a vontade.

Modo de Preparo:

1ª - Lave bem as linguiças e o bacon, tire a capa de couro do bacon e corte em pedaços pequenos tanto o bacon quanto a linguiça.
2ª - Em uma frigideira grande ou numa WOK, frite bem o bacon e a linguiça até que o bacon solte toda a gordura e a linguiça fique bem esturricada, depois disso jogue fora a gordura toda que tiver na frigideira, reserve.
3ª - Rale toda a cebola, que já foi descascada e lavada, e coloque numa panela de uma altura boa e coloque a manteiga e os fios de azeite de oliva e deixe fritar.
4ª - Quando a cebola estiver quase totalmente frita, vá jogando a farinha de trigo e
mexendo rapidamente para não embolar, quando fizer tipo um mingau deixe a farinha fritar um pouco, uns 2 minutos é mais que suficiente.
5ª - Depois que a farinha estiver frita pegue um FUÊ e com o auxilio de outra pessoa peça para que vá jogando o leite aos poucos e vá mexendo muito rápido para não embolar a farinha, faça isso até terminar o litro do leite. (EM CIMA A FOTO DO FUÊ PARA QUEM NÃO SABE O QUE É)
6ª - Após isso abaixe o fogo e jogue o resto dos ingredientes, o queijo Gorgonzola, a noz moscada ralada, a pimenta preta moída, o caldo ou o sal, cuidado com o sal pois o bacon e a linguiça tem sal, e no final jogue a linguiça e o bacon que estavam reservadas e vá mexendo devagar para não pegar no fundo da panela.

7ª - Aumente o fogo, quando começar a ferver de novo prove o sal e veja a consistência, tem quem goste de mais grosso ou de mais caldoso.
8ª - Quando estiver ao seu ponto desligue.
9ª - Pegue o creme de leite, os ovos e bata tudo junto numa vasilha e despeje no molho já desligado para não talhar, mexendo sempre.
10ª - Servir imediatamente.

Acompanhamento:

Por ser um macarrão que já tenha molho e carne não há bons acompanhamentos, eu sugiro uma salada ou algo leve, use sua imaginação.


Até a próxima receita amigos, abraços.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

A diferença entre... (Cortes de Cebola)

Tive uma ideia aqui e criei um tópico chamado "A diferença entre..." que irei relacionar dúvidas comuns entre nós, meros mortais sobre a cozinha. Alguns exemplos, tipos de arroz, tipos de corte e por assim vai. Hoje começarei com uma bem simples: a diferença entre cortes de cebola a "brunoise" e a "julienne".



Todos devem estar se perguntando o que é isso, bronoise ou julienne, de onde esse maluco tirou isso??? Calma, isso é mais comum em sua vida do que o mercado de toda semana, esses dois termos são termos de cozinha francesa, mesmo assim você ainda deve estar se perguntando, o que é isso? Bom se eu te falar assim, "ô fulano, corte ai uma cebola em cubinhos", vai ser mais facil não? Ou então, "ô fulano, corte ai uma cebola em tirinhas", ai melhorou bastante em? Pois bem vou refazer essas frases usando os termos que disse antes, "ô fulano, corte ai uma cebola a brunoise", deu para sacar? A outra, "ô fulano corte ai uma cebola a julienne", melhorou bastante ou ainda ta soando meio estranho? Vou logo ao ponto:


Brunoise = Cubinhos

Julienne = Tirinhas


PRONTO!!! Que maravilha em? Pode não ser uma daquelas descobertas do peso das de Vasco da Gama,(sim eu sou vascaino), mas pelo menos já lhe garanto que se você agora ver uma receitas com esses termos não irá se bater mais, qualquer dúvida ou sugestão me escreva, eu pesquiso e colo aqui.

Abraços e até a próxima.

Camarão Tropical com Damasco

Queridos amantes da gastronomia mundial, vou contar mais um pouco sobre minha vida, logo quando comecei a trabalhar com o Chef Rafael Sessenta ele me convidou para participar de jogos de pôquer que aconteciam em sua casa todas as quintas, eles jogavam e eu cozinhava, lá sempre tinham novas receitas e tive a maravilhosa oportunidade de conhecer pessoas esplêndidas, Marquinhos, Fred, Zé Matos, Sérgio Najar e Lula. Um grupo de amigos simplesmente fantásticos, mais um segredo sobre minha pessoa é que sempre adorei dirigir e eles tinham carrões, e tive a oportunidade de dirigir alguns: CRV Honda, Opirus KIA, Blazer GM, Mercedes Classe A, mas nunca realizei mesmo meu sonho de dirigir a BMW de Marquinhos e a Mercedes 350 de Lula :(
Voltando, como tinha dito antes Rafael sempre me aparecia com receitas novas e em uma dessas ele trouxe uma receita de "Camarão com Damasco", eu me perguntei se isso ia dar certo, ao decorrer da receita eu dei meus "pitacos" também e vejam só, quem diria, ficou M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O!!! Bom segue aqui a receita e espero que todos gostem.




Camarão Tropical com Damasco
(Serve 4 pessoas)

Ingredientes:

500 Gr. de Damasco Seco
1 Kg. de Camarões grandes, lavados e cortados a borboleta.
300 Ml. de Leite
1 Cebola média
1 Alho-poró
2 Colheres de sopa cheia de manteiga
Fios de Azeite de Oliva
Meia xícara de conhaque para flambar
Sal Grosso

Modo de Preparo:

1ª - Pegue o damasco seco e corte ele de maneira que fique bem picadinho.
2ª - Coloque o damasco já cortado em uma vasilha com o leite e deixe hidratar.
3ª - Pegue o camarão que já esta limpo, lavado e cortado a borboleta e coloque-o em uma vasilha com água e sal grosso a sua vontade, deixar de molho, não coloque muito sal pois ele é forte.
4ª - Para cortar o alho-poró pegue uma faca e vá dando leves cortes na parte branca até ver que ele ficou mole, ai é só o que se vai aproveitar, cortando a parte da raiz e o talo de cima, tire a primeira camada para não ter sujeira e lave bem, cortando em seguida em laminas finíssimas.
5ª - A cebola corte em cubos bem pequenos, brunoise.
6ª - Pegue uma panela e coloque a manteiga e os fios de azeite de oliva, serve para não queimar a manteiga.
7ª - Quando a manteiga estiver bem quente jogue o alho-poró e a cebola, refogue até ter a transparência da cebola e o alho fique mole.
8ª - Adicione o damasco que estava hidratando até agora e deixe ferver, desligue logo após a fervura, mais ou menos 10 minutos, se achar pouco caldo coloque mais leite ao final.
9ª - Em uma frigideira grande, WOK, pegue os camarões, sem a água do sal grosso que pode se jogar fora, e dê uma leve refogada com manteiga e azeite, até ter uma leve coloração natural do camarão, logo após jogar o conhaque e por fogo para flambar.
10ª - Desligue o camarão quando o fogo do conhaque tiver cedido e jogue imediatamente dentro do damasco, pode religar o damasco e deixar ferver por mais uns 2 minutos, servir logo.

Acompanhamentos:

Serve muito bem com um arroz branco refogado com salsinha picada e enformado. Use sua imaginação.

Até a próxima receita amigos, abraços.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Peixe a Molho Rosé (Era meio lógico, não!?)

Bom caros amigos, acho que era meio na cara começar por essa receita que tanto me marcou, espero que gostem, ela é bem simples mas dá para qualquer um fazer, sou adepto de um lema que vi uma vez num filme de animação, dito pelo Chef Auguste Gusteau, "Qualquer um pode cozinhar!!!"



Peixe ao Molho Rosé
(Serve 4 pessoas)

Ingredientes:

500 Gr. de um filé de peixe a sua escolha.

3 Pimentões, um de cada cor, vermelho, amarelo e verde, grandes.
2 Cebolas médias.

3 Tomates médios.
2 Caixas de creme de leite.
1 Caixa de catchup.
Azeite de oliva a vontade.
Salsa ou coentro para decoração.
Ovos de codorna cozidos para decoração.
Papel laminado para o refratário

Modo de preparo:

1ª - Pegue os filés de peixe e tempere a sua maneira, (eu coloco um pouco de sal, pimenta branca e limão e deixo até a hora da preparação do prato).
2ª - Em um refratário retangular regue com bastante azeite de oliva.
3ª - Lave muito bem e corte os pimentões, as cebolas e os tomates em rodelas.
4ª - Coloque no refratário untado com o azeite uma camada dos pimentões, cebola e tomate, quardando metade para poder colocar por cima depois.
5ª - Feito isso, colocar em cima desses temperos o peixe, pode jogar aquele caldinho que forma quando ele esta temperando.
6ª - Por cima do peixe colocar o restante da cebola, dos pimentões e dos tomates e regar com mais um pouco de azeite de oliva.
7ª - Em uma vasilha misture o creme de leite aos poucos e o catchup e vá dando a seu gosto, tem quem prefira mais doce ou menos ai você que vai decidir.
8ª - Jogar por cima de tudo essa mistura do creme de leite.
9ª - Fechar com papel laminado e levar ao fornor de 180º, pré-aquecido, por mais ou menos uns 20 minutos, depois retirar o papel laminado e deixar só mais um pouco para gratinar.
10ª - Para finalizar decore com a salsa ou o coentro e os ovos de cordona antes de levar à mesa.

Acompanhamentos:

Ele vai muito bem com um arroz branco e uma batata palha, mas improvise e invente faça-a sua maneira.

Até a próxima receita amigos, abraços.

Sobre mim...

(Eu e o Chef Rafael Sessenta)

Bem, meu nome é Pedro Nascimento Dourado Filho, tenho 21 anos, e sou apaixonado por gastronomia. Comecei a minha trajetória gastronômica, ainda na infância, lá pelos meus 6 / 7 anos, não lembro muito bem. Sempre tive muita curiosidade por cozinha em geral e fui me interessando cada vez mais e mais ao passar dos anos; comecei com uma receita simples e singela que minha mãe me entregou para eu fazer — claro que já achei tudo pronto e só fiz montar o prato e isso tudo com a supervisão de minha mãe, que ficou o tempo todo ao meu lado. Era o ano de 1994 e uma parte da minha família, do lado materno, tinha vindo almoçar conosco em uma cidadezinha do interior da Bahia, onde morávamos, chamada Esplanada. Minha mãe me chamou e me deu uma receita de "Peixe ao Molho Rosé" para eu fazer; fiz e foi um sucesso. Daí em diante, comecei a me interessar, mais seriamente, pela culinária.

Por volta de 1997, viemos para Salvador, onde moro até hoje. Mais tarde meu pai resolveu fazer um curso no SENAC de Culinária Internacional, lembro como se fosse ontem — a cada receita nova era algo a mais que ele nos ensinava em casa; era pura diversão. Nas aulas de pães, era pão para duas semanas; nas de pizza então nem se fala; e assim eu fui aprendendo cada vez mais. Ao chegar o ano de 2008, quando estava no cursinho para decidir o que faria finalmente da minha vida profissional, resolvi mesmo que ia seguir o caminho das panelas, colheres, facas, garfos e dos temperos...

Mesmo assim, fiz o vestibular para a Universidade Federal da Bahia (UFBA), mas, Infelizmente, levei bomba :'(

Então resolvi procurar algo que me colocasse nesse mundo de comilanças, de maneira mais fácil. Um dia ao ver um canal de TV local, a TV Salvador, liguei na hora de um programa chamado "Lugar de Homem é na Cozinha", apresentado por um Chef chamado Rafael Sessenta; já o tinha visto algumas vezes, só que nunca parei para prestar muita atenção. Daí passei a prestar mais atenção e um dia eu o vi fazendo propaganda de sua escola de gastronomia, onde cada aluno tinha sua bancada, seus acessórios e tudo o que fosse necessário; achei fantástico e no mesmo dia liguei para lá para ter informações e, quem diria, para minha surpresa falei com o próprio Chef, sem saber que era ele; marquei um dia, fui lá e fiz minha inscrição, quando a partir daí começaria minha futura vida nesse mundo surpreendente e fantástico que é a Gastronomia! Só para encurtar um pouco a história, acabei trabalhando para o meu professor e Chef Rafael Sessenta, e com isso vieram muitas surpresas: pessoas do ramo que conheci; lugares onde comi e as amizades, o mais importante nisso tudo.

Pois bem, para finalizar, completei minhas aulas de Iniciante a Chef lá do curso e, agora, retornarei para finalizar o curso todo nas aulas de Intermediário e Profissional, recebendo assim meu diploma de Tecnólogo em Gastronomia.

Bem, caros amigos, meu objetivo com esse blog é escrever aqui tanto receitas aprendidas com meu Chef e Professor como também algumas criadas por mim. Espero que curtam e consigam fazê-las! Qualquer dúvida, ou mais informações, é só entrar em contato.

Divirtam-se. E bom apetite para todos nós!